Vereador Alexandre Peres apresenta produtividade

Site da câmara Municipal apresenta proposições de todos os vereadores

A análise estatística exerce papel fundamental em qualquer pesquisa, pois retira as análises da esfera da especulação simples e transfere para a representação objetiva. Essa prática deveria acontecer também no campo da gestão pública, profissionalizando políticas públicas e seus programas, planos e ações.

Não que isso seja totalmente exato ou fácil, afinal, também os números podem responder a perguntas específicas – que podem variar de acordo com os olhos de quem faz as questões e até de quais respostas se interessa em obter e destacar.

Da mesma forma que um pesquisador, o gestor ou agente público pode olhar criteriosamente para os números e, quando a amostra for significativa, obter relações entre causa e efeito. Desta forma, pode encaminhar recursos para esta ou para aquela ação que precisa de mais eficácia, efetividade e/ou melhoria.

No meu gabinete na Câmara Municipal de Indaiatuba, estamos implementando a ISO 9001 e fazer análise dos dados para melhorar nosso desempenho é uma estratégia que revela não só os processos internos de como estou desempenhando minha função, como também demonstra parte da dinâmica de funcionamento da Casa de Leis como um todo. Basta fazer as perguntas certas e analisar o que os números mostram.

Fazendo o julgamento com certo conhecimento e sobretudo com bom-senso, é possível emitir julgamentos (mesmo que subjetivos) e até conclusões inquestionáveis.

Tomemos, por exemplo, o gráfico que está exposto. Trata-se de um resultado quantitativo e sei que, na maior parte das vezes, a quantidade produzida de proposições no gabinete de um vereador não é um indicador de excelência, por vários motivos, principalmente porque parte delas não são executadas.

No entanto, um indicador quantitativo, mesmo com as limitações, pode demonstrar algumas ações e, no meu gabinete representa sobretudo as demandas solicitadas. Tudo o que apresentei nasceu de uma necessidade, que pode ter vindo de um munícipe (como ideia, denúncia ou crítica), dos meus compromissos de campanha (eu não esqueci de NENHUM) e/ou da Agenda 2030 da ONU, que estou defendendo, mesmo dentro das reduzidas competências que um vereador tem.

Outras análises podem ser feitas, e neste momento quero destacar apenas esta, mas te convido a fazer a sua análise e sobretudo refletir: “tenho visto decisões tomadas com base nos números na gestão pública em Indaiatuba”?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *